Timber by EMSIEN-3 LTD
  • Imagem gráfica 2018 2019 01
  • A capa

Igreja Matriz

A Igreja Paroquial é um edifício de consideráveis dimensões e planta rectangular desproporcionadamente alongada, provido de capela-mor do mesmo formato, um pouco mais baixa e estreita. No flanco Norte, bastante recuada em relação à frontaria, ergue-se uma altiva torre sineira, de planta quadrangular. A fachada principal do templo ostenta uma traça barroca, setecentista, com seu portal de esquadria rematado por frontão em arco abatido (com data "1777" inscrita no respectivo tímpano) ao qual se sobrepõe um janelão oval. O frontão da empena é por sua vez mistilíneo e recortado, com dois pares de pináculos assentes nos ângulos e uma esguia cruz no topo. Na fachada Sul encontram-se anexadas uma pequena capela e a sacristia. O templo é circuitado por um muro de granito delimitando o adro, arborizado nos flancos, onde, entre duas cameleiras, se pode observar um rude banco de granito com data de "1702". Penetrando no interior, o visitante poderá admirar, na respectiva nave, o tecto forrado de madeira, em caixotões com pinturas polícromas de motivos sacros (simbólicos), um lambril de azulejo geométrico em rodapé e quatro painéis figurativos representando diversos passos da hagiografia do Santo padroeiro. Do lado da sacristia (Norte) ficam os altares de Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora das Dores e Sagrado Coração de Jesus; no oposto, onde se acha um púlpito datado de 1862, ficam os altares de Nossa Senhora do Rosário e Santo António. Deste flanco existe ainda uma gruta escavada na parede, representando a aparição de Nossa Senhora de Lurdes a Santa Bernadete. Acercando-se já da capela-mor, o visitante admirará o belo retábulo do altar-mor, em talha lacada a branco e pormenores decorativos dourados. Para além de Cristo Crucificado, figuram ali as imagens de São Mamede e São Bento. No capítulo da arte sacra, porém, as grandes preciosidades desta Igreja são uma custódia e cálice seiscentistas, que mereceram justo destaque numa exposição, em 1953.

O abade Bartolomeu Soares de Lima, que redigiu as respostas ao questionário de 1758 ("Memórias Paroquiais"), arrola nesta freguesia as seguintes aldeias, ou lugares: Vila (onde assenta a Igreja), Mendões, Louredo, Casal, Soeiro, Paiço, Fontes, Vilar de Lila e Água Levada. A sua descrição do templo, cuja estrutura arquitectónica era então mais pequena e simples, permite saber que a respectiva capela-mor sofrera obras recentes.

ImprimirEmail